Arquivo da categoria: Fikdik

auto-explicativa

Cinema noir no IMS

Começou no dia 3 mais uma mostra que o Instituto Moreira Salles organiza – dessa vez, o tema é cinema noir.

Até o dia 23 de setembro, 30 filmes serão reproduzidos na tela do IMS, que promete exibir desde os clássicos até os descendentes contemporâneos do estilo noir, surgido com base nas novelas policiais americanas.

Para os que se interessarem em descobrir o que há além das mulheres fatais e gangsters dos filmes incluídos nesse estilo, o IMS também vai dar quatro aulas sobre o cinema noir entre os dias 9 e 21 de setembro. Os que se inscreverem no curso ganharão um passaporte para ver seis dos filmes selecionados pela mostra.

A programação inclui clássicos como ‘Pacto Sinistro’, do Hitchcock e ‘Crepúsculo dos Deuses’, de Billy Wilder, além de ‘O grande golpe’, de Kubrick e da produção brasileira ‘O invasor’, dirigida por Beto Brandt.

A programação inteira está no site: http://ims.uol.com.br/Cinema/D9/P=422

1 comentário

Arquivado em Fikdik

Audrey Básica

Antes de mais nada: as autoras deste blog pedem desculpas pelo sumiço. Uma delas está naquela época chata pela qual todo estudante passa duas vezes ao ano – o final de período. A outra é uma desocupada acabada de voltar de viagem que vem se adaptando lentamente. Muito em breve o blog voltará ao normal.

E para começar a cumprir nossa palavra, anunciamos agora uma pequena exposição.

Dos dias 6 a 11 de julho, o CCBB Rio de Janeiro mais uma vez nos presenteia, dessa vez com uma série de filmes sobre a eterna bonequinha de luxo, Audrey Hepburn.

A atriz belga criada na Inglaterra fundou a imagem das mulheres fofas, educadas e elegantes, mas era mais que isso. Considerada um ícone até hoje, Audrey Hepburn vai além de “Bonequinha de Luxo” e “My Fair Lady”, razão pela qual vale a pena conhecer a Audrey que existiu fora do cinema.

O CCBB vai exibir “A Princesa e o Plebeu”, “Sabrina”, “Guerra e Paz”, “Cinderela em Paris”, “Bonequinha de Luxo”, “My Fair Lady” e “Quando Paris Alucina”.

A programação e outros detalhes podem ser encontrados no site: http://www.bb.com.br/portalbb/page511,128,10153,1,0,1,1.bb?dtInicio=7/2010&codigoEvento=3446

Natasha Ísis

2 Comentários

Arquivado em Fikdik

O Cinema e as cidades no IMS

O Instituto Moreira Salles promove mais uma mostra interessante. Dessa vez, o tema é a representação das cidades no cinema. A proposta além de inovadora, traz uma seleção de filmes exemplar, contemplando tanto o cinema nacional quanto ao internacional, serão exibidas a Manhattan de Allen, a Milão de Sicca,  a Hiroshima de Resnais, a Los Angeles de Wilder….

O Rio de Janeiro de Carvana

A São Paulo de Person

 

A Londres de Antonioni

 

A programação e mais informações no site do IMS.

PS: Eu, particularmente, gosto muito do IMS, apesar do seu difícil acesso – como já foi dito neste post.
No entanto, ainda tenho críticas ao caráter Viver a Vida, não de Godard, mas de Manoel Carlos, desse Centro Cultural. Enquanto espaços como o CCBB criam facilidades como cine-passe (5 reais com acesso mensal a videoteca e ao cinema), o IMS ainda cobra 10 reais para a entrada do cinema e promove cursos de 7 aulas que custam 140 reais – mas há meia para os dois casos. Acredito que esses espaços deveriam facilitar o acesso a cultura, democraticamente. Não conheço a história do IMS, não sei como ele se sustenta e a verba recebida, procurarei me informar. De qualquer forma, acho que no mínimo cursos e exposições gratuitas deveriam coexistir com essas (de preços exorbitantes).

Taís Bravo

Deixe um comentário

Arquivado em Fikdik

Mostra Eric Rohmer

 

  A caixa Cultural oferece mais uma mostra envolvendo o cinema francês e a Nouvelle Vague, dessa vez o cineasta é Eric Rohmer.  A mostra que se inicia terça, dia 30 de março,  22 longas do dirertor e 4 curtas.

Eric Rohmer que faleceu em janeiro deste ano, foi professor de letras e começou a escrever sobre cinema em veículos como Gazzete du Cinéma e posteriormente Cahiers du Cinéma, revista que será editor a partir de 1957.

Confesso que não vi nenhum dos filmes de Rohmer, não que não tenha tentado, mas o acesso a eles é bastante difícil ( e se vocês ainda não sabem, sou uma negação para tecnologia e não sei baixar filmes). Então, gostaria de pedir ajuda de vocês leitores: Digam-me ,qual filme da mostra eu não posso perder?

A programação segue abaixo:

CAIXA Cultural RJ – Cinemas 1 e 2

30/03 Terça
14h30 – O signo do leão (1959) (35mm) 102’.14 anos
16h30 – A Padeira do Bairro (1962) (35mm) 23’+ A Carreira de Suzanne(1963)(35mm) 54’. 16 anos.
18h30 – Eric Rohmer, Provas de Apoio Aos 120′. Doc. (Direção: André S. Labarthe, 1994) (DVD) 120’. 14 anos.

31/03 Quarta
14h30 – A Colecionadora (1967) (35mm) 89’. 14 anos.
16h30 – Minha Noite Com Ela (1969) (35mm) 85’. 16 anos.
18h30 – O joelho de Claire (1970) (35mm) 105’. 14 anos.

01/04 Quinta
14h30 – Amor à Tarde (1972) (35mm) 97’. 14 anos.
16h30 – A Marquesa d´O (1976)  (35mm) 100’. 14 anos.
18h30 – A mulher do Aviador (1980) (35mm) 106’. 14 anos.

02/04 Sexta
14h30 – Um Casamento Perfeito (1982) (35mm) 100’. 14 anos.
16h30 – Pauline na praia (1983) (35mm) 94’. 14 anos.
18h30 – Noites da Lua Cheia (1984) (35mm) 102’. 12 anos.

03/04 Sábado
14h30 – O Raio Verde (1986) (35mm) 98’. 12 anos.
16h30 – O Amigo da Minha Amiga (1987) (35mm) 103’. 12 anos.
18h30 – As 4 aventuras de Reinette e Mirabelle (1987) (35mm) 99’. 14 anos.

04/04 Domingo
14h30 – Conto da Primavera (1990) (35mm) 112’. 12 anos.
16h30 – Conto de inverno (1991) (35mm) 114’. 14 anos.

06/04 Terça
14h30 – A Fábrica do Conto de Verão. Doc. (Direção: Jean-André Fieschi, 2005) (DVD) 90’ + Charlotte e seu bife (1951) (DVD)12’ + Nadja em Paris (1964) (DVD) 13’. 14 anos.
16h30 – Conto de verão (1996) (35mm) 113’. 12 anos.
18h30 – Conto de Outono (1998) (35mm) 112’. 12 anos.

07/04 Quarta
14h30 – O joelho de Claire (1970) (35mm) 105’. 14 anos.
16h30 – A Árvore, o Prefeito e a Mediateca (1993) (35mm) 105’. 14 anos.
18h30 – A inglesa e o Duque (2001) (35mm) 125’. 14 anos.

08/04 Quinta
14h30 – Noites da Lua Cheia (1984) (35mm) 102’. 12 anos.
16h30 – O Raio Verde (1986) (35mm) 98’. 12 anos.
18h30 – Minha Noite Com Ela (1969) (35mm) 85’. 16 anos.

09/04 Sexta
14h30 – Eric Rohmer, Provas de Apoio Aos 120′. Doc. (Direção: André S. Labarthe, 1994) (DVD) 120’. 14 anos
16h30 – Agente Triplo (2004) (DVD) 104’. 16 anos.
18h30 – Os Amores de Astrée e de Céladon (2007) (DVD) 109’. 16 anos.

10/04 Sábado
14h30 – Pauline na praia (1983) (35mm) 94’. 14 anos.
16h30 – Amor à Tarde (1972) (35mm) 97’. 14 anos.
18h30 – Agente Triplo (2004) (DVD) 104’. 16 anos.

11/04 Domingo
14h30 – A Marquesa d´O (1976)  (35mm)

100’. 14 anos.

16h30 – A inglesa e o Duque (2001) (35mm) 125’. 14 anos.

  

CAIXA Cultural RJ – Cinemas 1 e 2

30/03 Terça
14h30 – O signo do leão (1959) (35mm) 102’.14 anos
16h30 – A Padeira do Bairro (1962) (35mm) 23’+ A Carreira de Suzanne(1963)(35mm) 54’. 16 anos.
18h30 – Eric Rohmer, Provas de Apoio Aos 120′. Doc. (Direção: André S. Labarthe, 1994) (DVD) 120’. 14 anos.

31/03 Quarta
14h30 – A Colecionadora (1967) (35mm) 89’. 14 anos.
16h30 – Minha Noite Com Ela (1969) (35mm) 85’. 16 anos.
18h30 – O joelho de Claire (1970) (35mm) 105’. 14 anos.

01/04 Quinta
14h30 – Amor à Tarde (1972) (35mm) 97’. 14 anos.
16h30 – A Marquesa d´O (1976)  (35mm) 100’. 14 anos.
18h30 – A mulher do Aviador (1980) (35mm) 106’. 14 anos.

02/04 Sexta
14h30 – Um Casamento Perfeito (1982) (35mm) 100’. 14 anos.
16h30 – Pauline na praia (1983) (35mm) 94’. 14 anos.
18h30 – Noites da Lua Cheia (1984) (35mm) 102’. 12 anos.

03/04 Sábado
14h30 – O Raio Verde (1986) (35mm) 98’. 12 anos.
16h30 – O Amigo da Minha Amiga (1987) (35mm) 103’. 12 anos.
18h30 – As 4 aventuras de Reinette e Mirabelle (1987) (35mm) 99’. 14 anos.

04/04 Domingo
14h30 – Conto da Primavera (1990) (35mm) 112’. 12 anos.
16h30 – Conto de inverno (1991) (35mm) 114’. 14 anos.

06/04 Terça
14h30 – A Fábrica do Conto de Verão. Doc. (Direção: Jean-André Fieschi, 2005) (DVD) 90’ + Charlotte e seu bife (1951) (DVD)12’ + Nadja em Paris (1964) (DVD) 13’. 14 anos.
16h30 – Conto de verão (1996) (35mm) 113’. 12 anos.
18h30 – Conto de Outono (1998) (35mm) 112’. 12 anos.

07/04 Quarta
14h30 – O joelho de Claire (1970) (35mm) 105’. 14 anos.
16h30 – A Árvore, o Prefeito e a Mediateca (1993) (35mm) 105’. 14 anos.
18h30 – A inglesa e o Duque (2001) (35mm) 125’. 14 anos.

08/04 Quinta
14h30 – Noites da Lua Cheia (1984) (35mm) 102’. 12 anos.
16h30 – O Raio Verde (1986) (35mm) 98’. 12 anos.
18h30 – Minha Noite Com Ela (1969) (35mm) 85’. 16 anos.

09/04 Sexta
14h30 – Eric Rohmer, Provas de Apoio Aos 120′. Doc. (Direção: André S. Labarthe, 1994) (DVD) 120’. 14 anos
16h30 – Agente Triplo (2004) (DVD) 104’. 16 anos.
18h30 – Os Amores de Astrée e de Céladon (2007) (DVD) 109’. 16 anos.

10/04 Sábado
14h30 – Pauline na praia (1983) (35mm) 94’. 14 anos.
16h30 – Amor à Tarde (1972) (35mm) 97’. 14 anos.
18h30 – Agente Triplo (2004) (DVD) 104’. 16 anos.

11/04 Domingo
14h30 – A Marquesa d´O (1976)  (35mm)

100’. 14 anos.

16h30 – A inglesa e o Duque (2001) (35mm) 125’. 14 anos.

1 comentário

Arquivado em Fikdik

“Tudo é ilusão” – o mundo paralelo de David Lynch

Tudo que está escrito aqui são especulações.

O mais incrível em relação aos filmes de David Lynch é que não há resposta. O próprio cineasta não dá interpretações de seus filmes. A resposta mais comum é “Interpretem como quiserem”. Os filmes podem ser bizarros em um primeiro momento – ok, os filmes são bizarros sempre – mas existe um sentido. Nada nos filmes de Lynch é despropositado, cada detalhe tem um sentido, uma razão para estar lá.

O texto que eu vou colocar aqui é a introdução de um trabalho que fiz para a faculdade.  Tá meio grande, mas sem a maioria dos detalhes técnicos/chatos para alguns, podem ficar calmos.

David Lynch é um dos poucos cineastas atuais que se encaixam no conceito da “campanha” da Nouvelle Vague por diretores-autores. Seu estilo cinematográfico, extremamente autoral e cultuado ao redor do mundo, é freqüentemente relacionado ao surrealismo devido aos aspectos técnicos e narrativos recorrentes em suas obras.

Nascido no ano 1946 em Missoula, interior dos Estados Unidos, David Lynch desde pequeno desenvolveu interesse pelas artes. Com o passar dos anos e com a sua passagem pela Academia de Belas Artes da Pensilvânia seu contato com a pintura, desenho, design gráfico e cinema foi se expandindo. São exatamente as suas experiências de vida, assim como o seu gosto pelas artes, que irão marcar as suas opções estéticas e narrativas.

As cores de Lynch em "Blue Velvet"

O universo “lynchiano” construído em filmes como “Cidade dos Sonhos” e “O Homem-Elefante” é repleto de situações bizarras e ilógicas; o diretor tem o costume de explorar a tensão entre realidade e imaginação, ilustrando a última através de seqüências de sonhos e pesadelos. Essa temática é construída a partir da não-linearidade da narrativa, necessitando por parte dos espectadores um esforço e participação intensa para atingir algum nível de compreensão. O próprio David Lynch afirmou em entrevistas o seu desejo de provocar reflexão ao levar todos a especular sobre o significado de seus filmes.

Primorosamente escritos, os roteiros de David Lynch abordam temas como a já mencionada tensão realidade/imaginação, o excêntrico dentro da normalidade e os mecanismos de poder. O diretor costuma optar por locações um tanto quanto extremistas: ou pequenas cidades, ou populares metrópoles, que abrigam seus personagens, retratos dos conflitos que o diretor procura expor em suas obras. Também é comum a presença de múltiplas identidades nos roteiros de Lynch, principalmente nas personagens femininas.

No que diz respeito à técnica, Lynch dá grande importância para a iluminação, cenografia e som. A iluminação de seus filmes é considerada por alguns como inspirada nos filmes noir e é detalhe importantíssimo na consolidação do roteiro, visto que destaca momentos determinados da trama, assim como o estado de espírito de alguns personagens. Os objetos de cena auxiliam nessa construção, dando apoio à iluminação e, por vezes, sendo parte essencial da trama ao carregar forte sentido subjetivo. O som é outro ponto muito valorizado pelo diretor, que já declarou seu perfeccionismo em relação a essa parcela do filme. Para David Lynch o som pode ser mágico, sendo ele capaz de acrescentar valores à atuação e mudar completamente uma cena.

Iluminação incrível em "Mulholland Drive"/"Cidade dos Sonhos"

De verdade, não percam a mostra do Lynch na Caixa. Os filmes são fantásticos, do tipo que te deixa perturbado. No melhor sentido possível.

Escrito por Natasha Ísis

1 comentário

Arquivado em Fikdik, I'm at the moviiies

David Lynch na Caixa Cultural

Mais uma mostra chega ao Rio de Janeiro, David Lynch – O Lado Sombrio da Alma, dessa vez na Caixa Cultural onde além da obra do diretor, serão exibidos filmes que o influenciaram como “O Mágico de Oz” e “O Iluminado”. Outro diferencial é que a mostra contará com cafezinhos orgânicos (produzidos pela empresa de Lynch) e pedaços de torta de cereja (igual a que aparece em “Twin Peaks”), mas a torta só será servida no dia 15, quando terá um debate com a presença de José Wilker, Fernando Ceylão e Mario Abbade . Interessante, não?

Aí vai a programação, não percam!

Dia 8 – Terça-feira 

Cinema 1
17h – A história real (película). 111 min. 12 anos.
19h – Coração selvagem (película). 128 min. 16 anos.

Cinema 2:

17h – Eraserhead (DVD). 89 min. 16 anos.
19h – O homem elefante (DVD). 124 min. 14 anos.


Dia 9 – Quarta-feira

Cinema 1

17h – Hollywood Mavericks (película). 90 min. 12 anos

19h – Cidade dos Sonhos (película). 141 min. 14 anos.


Cinema 2
17h – I Don’t Know Jack (DVD). 96 min. 12 anos.

19h – A Estrada Perdida (DVD). 135 min. 16 anos.



Dia 10 – Quinta-feira 

Cinema 1
17h – Twin Peaks – O piloto da série (DVD). 95 min. 14 anos.

19h – Twin Peaks: Os últimos dias de Laura Palmer (película). 135 min. 14 anos.
 

Cinema 2
17h – Um cão andaluz – A idade do ouro (DVD). 80 min. 12 anos.

19h – Duna (DVD). 190 min. 14 anos.
 


Dia 11 – Sexta-feira

Cinema 1
17h – Império dos sonhos (DVD). 180 min. 14 anos.
20h – Mais coisas que aconteceram (DVD). 76 min. 14 anos.

Cinema 2
17h – Encaixotando Helena (DVD, matriz VHS). 107 min. 14 anos.

19h – Sob controle (DVD). 97 min. 14 anos.


Dia 12 – Sábado
Cinema 1

17h – O mágico de Oz (DVD). 101 min. Livre
19h – O iluminado (DVD). 146 min. 14 anos.
 

Cinema 2
18h – On the air (DVD, matriz VHS). 210 min. 14 anos.


Dia 13/12 – domingo

Cinema 1
18h – Mystery disc (DVD). 190 min. 14 anos.

Cinema 2
17h – Zelly & Eu (DVD, matriz VHS). 87 min. 14 anos.

19h – Nadja (DVD, matriz VHS). 93 min. 14 anos.


Dia 15 – terça-feira

Cinema 1
17h – Veludo azul (DVD). 121 min. 16 anos.

19h – Debate com José Wilker, Fernando Ceylão, Mario Abbade e 1 convidado.

Cinema 2
17h – Crumb (DVD). 119 min. 14 anos.
 


Dia 16- quarta-feira

Cinema 1
17h – A estrada (película). 108 min. 14 anos.
19h – Lynch (One) (DVD). 84 min. 14 anos.

Cinema 2
17h – Pretty as a picture (DVD). 85 min. 14 anos.

19h – Scene by scene (DVD, matriz VHS). 50 min./ Ruth Roses and revolver (DVD, matriz VHS). 48 min. 12 anos.


Dia 17 – Quinta-feira

Cinema 1
17h – Hugh Hefner: Once upon a Time (DVD). 91 min. 14 anos.

19h – Dumbland (DVD). 25 min./ David Lynch Commercials e clipe Rammstein (DVD, matriz VHS s/legendas). 25 min./ School of Thought (DVD). 40 min. 12 anos.
 

Cinema 2
17h – Rabbits (DVD). 50 min./ Industrial Symphony No. 1 (DVD). 50 min. 14 anos.
19h – Hotel room (DVD, matriz VHS). 90 min. 14 anos.


Dia 18/12 – sexta-feira
Cinema 1
17h: The short films of David Lynch (DVD). 120 min. 14 anos.
19h: Dynamic: 01: The best of David Lynch.com (DVD). 120 min. 14 anos.

Cinema 2
17h: Dumbland (DVD). 25 min./ David Lynch commercials e clipe Rammstein (DVD, matriz VHS s/legendas). 25 min./ School of Thought (DVD). 40 min. 12 anos.

19h: Os Beatniks (DVD, matriz VHS). 110 min. 14 anos. 


Dia 19 – Sábado 

Cinema 1
17h – Hotel room (DVD, matriz VHS). 90 min. 14 anos.
19h – Transcendendo Lynch (digital). 84 min. 12 anos.

Cinema 2
17h – Scene by scene (DVD, matriz VHS). 50 min./ Ruth Roses and Revolver (DVD, matriz VHS). 48 min. 12 anos.
19h – Rabbits (DVD). 50 min./ Industrial Symphony No. 1 (DVD). 50 min. 14 anos.


Dia 20 – Domingo 

Cinema 1
17h – Mystery disc (DVD). 190 min. 14 anos.
 

Cinema 2
17h – On the Air (DVD, matriz VHS). 210 min. 14 anos.

Deixe um comentário

Arquivado em Fikdik

Vale Open Air

Já começou, mas ainda está valendo: até o dia 13 de novembro o Jockey Club Brasileiro irá receber a maior tela de cinema do mundo com o Vale Open Air. O evento é a combinação de cinema ao ar livre com festas e shows após as exibições.

Vão passar diversos filmes imperdíveis como “O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus”, último filme do Heath Ledger; “Tudo pode dar certo”, a mais recente produção do Woody Allen; “Histórias de Amor duram apenas 90 minutos”, sobre o qual já falamos várias vezes aqui… entre muitos outros.

Além dos filmes, os shows e as festas também valem muito a pena. Mart’nália, Orquestra Voadora, Maria Gadú, Ana Cañas, Casuarina e Monobloco são alguns dos nomes que estão na programação aqui: http://valeopenair.com.br/programacao.aspx

Os primeiros 1.400 ingressos custam 20 reais (a meia-entrada, claro) e dão direito a ver o filme e depois ir para a festa/show do dia. Passando esse número, só ingressos para o pós-filme. Então, corram corram corram!

(Lembrando que o blog voltará ao normal em breve. Não esqueçam que somos universitárias e, portanto, escravas do final de período impiedoso.)

Escrito por Natasha Ísis

Deixe um comentário

Arquivado em Fikdik