O sumiço

Nós sumimos e não devemos nenhuma justificação para isso – afinal, esse tipo de comportamento é comum entre autores de blogs.

E, no entanto, sinto uma terrível necessidade de explicar. Explicar, porque sinto este espaço como um blog de formação.

O Pulei surgiu em um período de descoberta, nossa paixão por cinema começava a enveredar em algo mais forte e se unia à nossa vontade de se expressar e dialogar com outros apaixonados. Desde então, muita coisa aconteceu e quem acompanha sabe. Em menos de um ano esse blog nos levou a muitos lugares, deu vazão a nossas vivências e, ao mesmo tempo, influenciou novas. Sendo assim, aqui se encontram nossas histórias, influências, paixões, adoráveis tormentos (as mostras e festivais em momentos indevidos), campanhas (a divulgação do Histórias de Amor – filme que marcou esse blog e nossas vidas), descobertas e mudanças.

A pausa é, então, também um reflexo de nós, 2010 é um ano intenso, novos caminhos, novos questionamentos e mudanças que pedem tempo para serem absorvidas. Precisamos de um tempo, eu e Natasha, pra compreender tudo que está nos acontecendo, todas as novas perspectivas e possibilidades (que estão, sem dúvida, relacionadas à nossa forma de ver a arte, porque arte e vida são indissociáveis para nós). Estamos deixando lacunas no blog, pra tentar responder as nossas próprias faltas, pra amadurecer algumas idéias. Nem sempre improdutividade é negativo e, às vezes, o que parece pausa faz parte de um movimento mais sutil.

Contudo, felizmente, eu sinto que chega a hora de nós forçarmos a mão e compartilharmos nossas transformações teóricas, emocionais, filosóficas…

Aguardem.

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em The bitch is crazy, Uncategorized

2 Respostas para “O sumiço

  1. A cada dia passamos por uma transformação. As vezes de menos intensidade que outras, mas não deixam de ser transformações. Questionar-se sobre a vida é a coisa mais natural do mundo e digo isso com a certeza de uma questionadora nata. Gosto muito desse blog e torço muito pelo sucesso dele, mesmo que para tanto seja necessária uma pausa. Afinal, ”nem sempre improdutividade é negativo”. Desejo que os pensamentos se espalhem, viagem, descubram mais e mais coisas, para que no caminho de volta venham fortalecidos e ainda mais inspirados.

    Pela continuação de ótimos textos!

    Bjão***

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s